terça-feira, 17 de julho de 2012


Continuamente salvos pela vida de Deus

Porque, se nós, quando inimigos, fomos reconciliados com Deus mediante a morte do seu Filho, muito mais, estando já reconciliados, seremos salvos pela sua vida. Ora, se somos filhos, somos também herdeiros, herdeiros de Deus e coerdeiros com Cristo; se com ele sofremos, também com ele seremos glorificados (Rm 5:10; 8:17)
Rm 8:29-30; 2 Co 3:18; 1 Jo 2:6
Uma vez consagrados, justificados, santificados, reconciliados, renovados e transformados, anelamos ser conformados à imagem de Cristo, o Filho de Deus (Rm 8:29-30). Permanecemos nesse caminho invocando o nome do Senhor e nos voltando ao espírito. Assim, nos tornamos mais parecidos com Ele. Somente quando somos conformados à imagem do Senhor Jesus é que podemos expressar a glória de Deus. Esse é o evangelho do reino dos céus.
Em resumo, o evangelho do reino nos apresenta e ajuda a experimentar oito itens: a consagração, a justificação, a santificação, a reconciliação, a renovação da mente, a transformação, a conformação com Cristo e a expressão do próprio Deus. Cada um desses itens está operando constantemente em nós, não seguindo uma sequência determinada. Constantemente podemos nos consagrar a Deus e gradualmente vivenciamos a reconciliação diária com Ele. A cada instante, invocando o nome do Senhor, somos santificados e transformados. De igual modo, quando nos conformamos à imagem de Cristo, andando como Ele andou, expressamos o próprio Deus (1 Jo 2:6).
A renovação da mente, por sua vez, ocorre quando voltamos nossa mente ao Senhor. Essa é a prática de negar a si mesmo. Negar a vida da alma não significa renunciar a alma. Nela temos as faculdades da mente, da emoção e da vontade, as quais Deus criou e são necessárias para vivermos como seres humanos e expressá-Lo. Negar a vida da alma significa colocar toda a nossa alma no Espírito, pelo arrependimento. Dessa maneira, nossa mente é renovada.
Por isso precisamos colocar, ou pender, nossa mente no Espírito. Ao colocarmos a mente no espírito, recebemos vida e paz, experimentando a transformação que vem do Espírito (2 Co 3:18). Essa transformação decorre do acréscimo da vida de Deus em nós. Cada vez que a vida divina nos é acrescentada, somos transformados e conformados à imagem de Cristo, o Filho de Deus. Nesse processo, como pessoas cheias da vida de Deus, nos tornamos parecidos com o Senhor Jesus. Assim, expressamos o próprio Deus. Aleluia!
Em Romanos 8 vemos o resultado da prática do evangelho do reino: “Porque o pendor da carne dá para a morte, mas o do Espírito, para a vida e paz. [...] Se habita em vós o Espírito daquele que ressuscitou a Jesus dentre os mortos, esse mesmo que ressuscitou a Cristo Jesus dentre os mortos vivificará também o vosso corpo mortal, por meio do seu Espírito, que em vós habita. [...] O próprio Espírito testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus. Ora, se somos filhos, somos também herdeiros, herdeiros de Deus e coerdeiros com Cristo; se com ele sofremos, também com ele seremos glorificados” (vs. 6, 11, 16-17).
Se voltarmos nossa mente ao espírito de maneira contínua, um dia nosso corpo também será transformado pela vida de Deus. É assim que os filhos de Deus se tornam Seus herdeiros e coerdeiros com Cristo. Por fim, seremos glorificados, por ganhar a vida de Deus em todo o nosso ser: espírito, alma e corpo. Vamos praticar tudo o que o evangelho do reino dos céus inclui e também propagá-lo para que outras pessoas possam praticá-lo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário