quarta-feira, 27 de junho de 2012


Ser aperfeiçoados pela prática do amor

Nisto é em nós aperfeiçoado o amor, para que, no Dia do Juízo, mantenhamos confiança; pois, segundo ele é, também nós somos neste mundo (1 Jo 4:17)
Mt 16:24; Rm 8:6, 8; 1 Co 12:5; Ef 4:7, 15-16.
Pelo exercício de nossos dons e pelo acréscimo da graça, cada um desenvolve seu ministério, cooperando com a edificação do Corpo de Cristo em amor (Ef 4:15-16). Como já vimos, a graça é concedida a cada de nós segundo a proporção do dom de Cristo (v. 7). Quanto mais graça, mais da vida divina é infundida em alguém, e, assim, maior será seu ministério. A Palavra nos revela que o Senhor concedeu funções especiais para alguns membros do Corpo, a fim de ajudar outros irmãos a desenvolver seus dons e ministérios (1 Co 12:28; Ef 4:11). Embora haja diversidade de ministérios (1 Co 12:5), e também diferença nos níveis dos ministérios, o ministério de cada membro é indispensável para a edificação do Corpo de Cristo.
Uma vez que a vida de Deus cresce em nós, somos aperfeiçoados para realizar a obra do ministério, que consiste em edificar o Corpo de Cristo hoje e sermos preparados para o governo do mundo vindouro. Por essa razão, o Senhor Jesus nos incluiu na igreja, para que a prática do amor, proveniente de Sua vida, nos transforme e nos faça cada vez mais parecidos com Ele. Hoje precisamos que o amor seja aperfeiçoado em nós (1 Jo 4:17).
Entretanto, para que sejamos aperfeiçoados, precisamos negar a vida da alma, ou seja, negar a nós mesmos e seguir o Senhor (Mt 16:24). Esse ensinamento não é uma mera ordenança, mas um requisito prático para O seguirmos. Aqueles que não negam sua vida da alma permanecem na esfera anímica, não mudam e não conseguem seguir o Senhor.
Poucos cristãos percebem que será impossível reinar com o Senhor se a alma não for transformada. Para que haja transformação, a alma precisa inclinar-se para as coisas do espírito, precisa negar a si mesmo e colocar sua mente no espírito, pois de outro modo se inclinará para a carne, cujo resultado será morte (Rm 8:6). E os que estão na carne não podem agradar a Deus (v. 8).
Por esse motivo, o Senhor intencionalmente nos colocou na igreja, para que possamos negar a vida da alma, vivendo no espírito junto com Seus escolhidos. Precisamos liberar nosso espírito, quebrando todas as barreiras de nossa alma que nos impedem de desfrutar o Senhor e de ter comunhão com todos os irmãos. Se assim praticarmos, desempenharemos nossas funções no Corpo de Cristo, seremos aperfeiçoados no amor e estaremos nos preparando para reinar com o Senhor em Seu reino.

Nenhum comentário:

Postar um comentário