segunda-feira, 11 de junho de 2012


Aperfeiçoados para reinar

Ora, o Deus de toda a graça, que em Cristo vos chamou à sua eterna glória, depois de terdes sofrido por um pouco, ele mesmo vos há de aperfeiçoar, firmar, fortificar e fundamentar (1 Pe 5:10)
1 Co 14:5; Ef 4:11-12
A vida da igreja não é somente realizar atividades. Mesmo que nos envolvamos com muitas atividades, devemos perceber que isso é para que aprendamos o mais importante: negar a nós mesmos. Quando realizamos a obra que o Senhor nos entrega, é que nos deparamos com a manifestação de nossa vida da alma. Nesse momento, surge a oportunidade de tomarmos a cruz para fazer morrer a nossa velha natureza. Louvamos ao Senhor, pois Ele nos revelou que isso é o item mais importante na vida da igreja.
Quanto mais negamos a nós mesmos, tomando a cruz, mais da vida de Deus nos é acrescentada. De certa forma, isso nos torna aptos a reinar com Cristo no mundo que há de vir, mas ainda não é tudo. Além disso, ainda precisamos ser aperfeiçoados na obra do ministério, pois aqueles que reinarão receberão responsabilidades. Portanto, por um lado, pagamos o preço de negar a vida da alma; por outro, somos aperfeiçoados servindo a Deus na igreja.
Quem nos aperfeiçoa? Conforme Efésios 4:11-12, Deus concedeu à igreja determinadas pessoas para o aperfeiçoamento dos santos. Primeiro são mencionados os apóstolos, irmãos que já passaram por certo aperfeiçoamento e auxiliam outros a negar a si mesmos. Há também os profetas, que foram aperfeiçoados para falar por Deus e podem auxiliar os demais irmãos nesse ministério; em seguida, temos os evangelistas, que os ajudam a pregar o evangelho. Além desses, temos os pastores, que apascentam os irmãos; e os mestres, que lhes ensinam a Palavra. Cada uma dessas funções foi concedida por Deus para o nosso aperfeiçoamento, com o objetivo de nos preparar para reinar no mundo vindouro.
Se alguém tem a função de apóstolo, evangelista, pastor ou mestre, deve se lembrar de que isso foi concedido por Deus para o aperfeiçoamento dos irmãos e a edificação da igreja. Quem recebeu alguma dessas funções não deve se portar como se fizesse uma obra própria, nem deve tomar para si as funções dos outros membros do Corpo de Cristo.
O objetivo de Deus não é ter poucos apóstolos monopolizando a obra na igreja, mas multiplicar essas funções para muitos outros irmãos. Quanto aos profetas, eles não falam por Deus com exclusividade. A principal função de um profeta como ministro da Palavra, além de ministrar o falar de Deus hoje, o Seu encargo, é levar outros a também falar por Deus. Ele deve desejar que haja muitos participando do ministério da Palavra (1 Co 14:5). De igual modo, os evangelistas não são os únicos a pregar o evangelho. Quando participamos da propagação do evangelho, não fazemos esse serviço sozinhos, porque podemos contar com os evangelistas para nos aperfeiçoar. O desejo de Deus é que muitos filhos Seus sejam ministros do evangelho. O mesmo pode ser dito com relação às funções de pastor e mestre que cuidam do rebanho de Deus e o ensinam a praticar a Palavra. Isso significa que cada um de nós deve ser ativo na edificação do Corpo de Cristo.
Quanto mais somos aperfeiçoados, maior será nossa função na era vindoura, onde seremos úteis para cooperar com o Senhor Jesus em Seu reino.

Nenhum comentário:

Postar um comentário