sábado, 26 de maio de 2012


Seguir de perto, ver e testificar

Aquele que isto viu testificou, sendo verdadeiro o seu testemunho; e ele sabe que diz a verdade, para que também vós creiais (Jo 19:35)
Mt 26:58; Lc 23:49; Jo 14:26
Dentre os quatro evangelhos, três foram escritos pouco tempo depois da ascensão do Senhor Jesus. Todavia estes não contém muitos detalhes sobre o principal motivo da morte do Senhor.
Durante os três anos e meio em que o Senhor Jesus esteve com os Seus discípulos, varias vezes lhes falou sobre Sua morte e ressurreição. Ao ouvi-Lo falar sobre essas coisas, cada um dos discípulos absorvia essas palavras segundo sua própria necessidade e entendimento.
Ainda quanto aos sinais e milagres descritos por eles nos evangelhos, cada um registrou, segundo a inspiração do Espírito, mas também, segundo a própria experiência, quais seriam os fatos mais relevantes.
O Evangelho de Mateus é peculiar ao registrar algumas expressões usadas pelo Senhor. Isso porque Mateus não era um pescador da Galileia, mas sim um cobrador de impostos. Ele estava relacionado com a administração pública daquela época. Por isso Mateus dava mais atenção em seus registros a tudo o que o Senhor Jesus falava que tinha relação com o reino dos céus.
Os evangelhos de Marcos e Lucas, por sua vez, não relataram detalhes da crucificação do Senhor Jesus. Lucas não estava presente, e Marcos, que provavelmente escreveu baseado no relato de Pedro, não tinha como detalhar, uma vez que este acompanhou o aprisionamento do Senhor com uma certa distância.
Quase todos os discípulos observavam a crucificação e a morte do Senhor de longe, pois Ele estava sendo tratado como um criminoso (Mt 26:58; Lc 23:49). Eles temiam ser reconhecidos como aqueles que O seguiam. Assim, por causa dessa distância, não puderam ver com detalhes, registrando apenas o que conseguiram ver de onde estavam.
No ano setenta depois de Cristo, Deus permitiu que Jerusalém fosse destruída pelo império Romano. Naquela época João foi preso e exilado na ilha de Patmos. Passados vinte anos após sua prisão, o Senhor passou a lhe revelar muitas coisas por meio do Espírito da realidade. Mesmo avançado em idade, com quase noventa anos, ele conseguiu lembrar-se das coisas ocorridas na época em que seguiu o Senhor Jesus na terra (Jo 14:26).
Depois que escreveu o livro de Apocalipse, João foi até Éfeso para ajudar os irmãos por meio das palavras faladas pelo Senhor em Seu ministério terreno. Pelo fato de ter seguido o Senhor de perto, João se lembrou de vários fatos relacionados à morte do Senhor que os outros não viram nem ouviram. Aquilo que ele viu e ouviu, testificou (19:34-35).
Pelo fato de somente João ter descrito alguns fatos que não constavam nos outros evangelhos, por muito tempo os estudiosos da Bíblia não deram a devida atenção aos seus registros. Pela misericórdia de Deus, esse evangelho foi revelado para nós, e hoje podemos compreender essas palavras. Por invocar o nome do Senhor fomos introduzidos no fluir do Espírito da realidade, enfatizado por João em seus escritos (14:17; 15:26; 16:13).

Nenhum comentário:

Postar um comentário