quarta-feira, 2 de maio de 2012


O caminho para ser útil ao Senhor

Ele amarrará o seu jumentinho à vide e o filho da sua jumenta à videira mais excelente (Gn 49:11)
Gn 49:11; Zc 9:9; Mt 21:1-3; Jo 6:63; 15:1
Jesus teve muitos impedimentos antes de chegar a Jerusalém. Ao aproximar-se da cidade, chegando a Betfagé, enviou Jesus dois discípulos, dizendo-lhes: “Ide à aldeia que aí está diante de vós e logo achareis presa uma jumenta e, com ela, um jumentinho. Desprendei-a e trazei-mos. E, se alguém vos disser alguma coisa, respondei-lhe que o Senhor precisa deles. E logo os enviará” (Mt 21:1-3).
Esses versículos dizem respeito a uma profecia de Zacarias, que fala sobre como o Rei Jesus entraria em Jerusalém: montado num jumento, num jumentinho, cria de jumenta (9:9). Os discípulos encontraram o jumento, conforme o Senhor havia predito.
Normalmente a natureza do jumento é muito forte, teimosa e obstinada. A Bíblia relata a história da jumenta de Balaão: “Balaão levantou-se pela manhã, albardou a sua jumenta e partiu com os príncipes de Moabe; ia caminhando, montado na sua jumenta, e dois de seus servos, com ele”. Quando ela viu o Anjo do SENHOR, desviou-se, indo pelo campo; então, Balaão espancou a jumenta para fazê-la tornar ao caminho. “Vendo, pois, a jumenta o Anjo do SENHOR, coseu-se contra o muro e comprimiu contra este o pé de Balaão; por isso, tornou a espancá-la. O Anjo do SENHOR passou mais adiante e pôs-se num lugar estreito, onde não havia caminho para se desviar nem para a direita, nem para a esquerda. Vendo isso, a jumenta deixou-se cair debaixo de Balaão que, irado, espancou a jumenta com a vara. Então, o SENHOR fez falar a jumenta, a qual disse a Balaão: Que te fiz eu, que me espancaste já três vezes? Respondeu Balaão: Porque zombaste de mim; tivera eu uma espada na mão e, agora, te mataria. Replicou a jumenta: Porventura, não sou a tua jumenta, em que toda a tua vida cavalgaste até hoje? Acaso, tem sido o meu costume fazer assim contigo? Ele respondeu: Não” (Nm 22:21-30).
A natureza do jumento é assim mesmo: quando ele não quer avançar, quanto mais você o açoitar, menos ele irá se mover. Se formos sinceros ao considerar nossa experiência, perceberemos que, por vezes, nosso caráter se parece muito com o de um jumento: forte e teimoso. Porém há esperança para nós.
Apesar de todo jumento ser teimoso, esse, porém, que o Senhor mandara buscar para entrar em Jerusalém, estava preparado. Podemos dizer que o caráter desse jumento já havia sido moldado. Como isso ocorreu? A Bíblia nos mostra a resposta: “Ele amarrará o seu jumentinho à vide e o filho da sua jumenta à videira mais excelente” (Gn 49:11).
Portanto, para sermos preparados e usados por Deus, o caminho é comer das palavras do Senhor, do fruto da videira mais excelente, pois Suas palavras são Espírito e vida (Jo 6:63). Ele é “a videira verdadeira” (15:1).

Nenhum comentário:

Postar um comentário